11 agosto 2011

Relacionamento nas empresas

Além do relacionamento interpessoal, tenho visto em conversas com amigos como o relacionamento (namoro, noivado, casados) está em alta na mesma empresa, mas até que ponto isto é saudável?

É complexo dizer que "não encontro meu par" ou "nos conhecemos na empresa...".

A realidade é que o relacionamento interfere sim nas atividades do seu trabalho, quando isto ocorre entre subordinação e/ou gerencia complica muito, não sendo apenas uma opinião minha, mas dos meus amigos em que comentei sobre o assunto.

Até a revista veja fez uma reportagem sobre isso e fiquei admirado que minha visão é muito igual a da linha da reportagem, ou seja, não pega bem, mesmo não querendo ser transparente.

Tudo fica mais delicado quando o relacionamento envolve pessoas casadas ou de graus hierárquicos diferentes.

No primeiro caso, o namoro acaba comprometendo todo o departamento.

Imagine que seu colega casado foi passear com a namorada e a mulher dele telefona.

Que desculpa vai dar quem atende? E se der a desculpa errada, complicando o casamento dele?

No caso do namoro entre chefe e subordinado, o relacionamento não só afeta o departamento como pode contaminá-lo.

E se a "amada" receber um aumento? E se for promovida?

Ficará sempre a dúvida: sua carreira avança por méritos profissionais ou amorosos?
Enfim, existem mais pessoas ao seu redor do que apenas na sua Empresa, grandes empresas proibem esta atitude, muitas vezes você não e contratado caso tenha algum vinculo amoroso com alguém desta empresa.

Se for em empresas de um grande complexo, você é transferido para outra área de outra subordinada para não nenhum tipo de relacionamento entre as partes, isto sim é profissionalismo e visando o bem da empresa e equipe.

Reflita sobre isto e reveja o seus conceitos, nada contra, mas fecho com o questionamento da Veja!

Ficará sempre a dúvida: sua carreira avança por méritos profissionais ou amorosos?
Postar um comentário